Entenda mais sobre as Janelas de Acesso no Ultrassom do Crânio

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp

A ultrassonografia de acesso transcraniana em pequenos animais possui normalmente quatro janelas. É importante destacar que pode haver exceções, em alguns casos é possível acessar linhas de fratura, sendo flexível de acordo com o quadro do animal.

Na imagem de reconstrução 3D por tomografia é possível ver o processo zigomático do osso zigomático, sendo este um localizador do transdutor, que quando apoiado serve como base para a varredura de hemisférios cerebrais.

Caso a janela fontanela esteja aberta, o transdutor será posicionado na parte onde não há porção da calota craniana que se refere a respectiva janela. Se a linha de fissura estiver por perto, é possível realizar o acesso também, pois o fecho sonoro irá penetrar e apresentar boas imagens.

Na janela occipital, onde não há interferência óssea, é possível visualizar regiões como o cerebelo, medula oblonga, medula cervical, quarto ventrículo, vermis cerebelar e artéria basilar. 

Girando a imagem é possível verificar a janela occipital, onde serão observados os processos zigomáticos esquerdo e direito, com a possibilidade de fazer uma varredura hemisferial nos dois lados.

É possível fazer todos os cortes longitudinais, dorsais e os transversais através da janela fontanela.

A vantagem do exame ultrassonográfico do crânio é justamente a avaliação dopplervelocimétrica de artérias cerebrais que compõem o círculo de Willis, sendo o único exame de imagem que fornece dados arteriais cerebrais.

Gostou do texto? Leia outros no meu Blog e siga-me nas Redes Sociais (Facebook, LinkedIn e Instagram) para receber conteúdos úteis para o seu dia a dia. Você também pode ver meus conteúdos em forma de vídeo, no meu canal do Youtube.

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp